Margarida Talapa em Nampula para repudiar ataques terroristas em Cabo Delgado

0
204

Nampula (IKWELI) – A chefe da brigada central do partido Frelimo de assistência a província de Nampula, Margarida Talapa, disse na manhã desta segunda-feira (19), que a situação dos residentes de Cabo Delgado não é boa, ainda que haja esforços das Forcas de Defesa e Segurança (FDS) para combater as accoes terroristas.

“Sabemos que a situação dos nossos irmãos em Cano Delgado não é boa, embora o nosso governo, através das Forcas de Defesa e Segurança (FDS), tem feito muito esforço para corresponder com aquilo que é a ansiedade dos moçambicanos que é pôr fim o terrorismo em alguns distritos de Cabo Delgado”, disse a fonte em colectiva de imprensa.

Por outro lado, Talapa disse estar de visita a província de Nampula para poder “prosseguir com as acções que a própria província tem feito, mas apenas fazer o reforço daquilo que a província tem feito no amplo movimento popular de condenação e repúdio da acção terrorista em Cabo Delgado”, cuja iniciativa foi lançada no ano passado, 2020.

“Por isso vamos continuar com este movimento iniciado no ano passado, no sentido de sensibilizarmos a população sobre a necessidade de se fazer um trabalho de condenação, mobilização e sensibilização a todos, sobretudo os jovens, a não aderirem estes movimentos terroristas, mas também a necessidade de uma grande vigilância porque eles vivem nas nossas casas, são nossos vizinhos, nossos filhos, genros e sobrinhos. Há uma necessidade de todos nós compreendermos o mal que eles estão a fazer e dai termos uma única voz e dizermos não ao terrorismo em Moçambique”, prosseguiu a fonte, elucidando que “não podemos pensar que o terrorismo é um assunto de Cabo Delgado, mas sim é um assunto de todo o país, e Nampula faz fronteira com Cabo Delgado, então é dai que há a necessidade de todos nós fazermos esta condenação a estes ataques”.

Parecendo uma descoberta nova, Talapa avançou que “os ataques terroristas retardam o desenvolvimento sócio-económico do país” e que “a coesão é a arma chave para pormos fim ao terrorismo”, tanto que “não se confunda a religião como o móbil dos ataques”

O aumento da criminalidade

A província de Nampula, olhando para os números de deslocados anunciados pelo governo, pelo menos, recebe mais de 10% destas vítimas. Com a chegada desses deslocados, o índice de criminalidade nos bairros das principais cidades e entrepostos comerciais aumentou.

O Ikweli perguntou a Margarida Talapa se o recrudescimento da criminalidade teria haver com a chegada de deslocados da guerra de Cabo Delgado, ao respondeu que “não posso afirmar categoricamente que existe isso. O que eu penso que devemos fazer, como população da província de Nampula, é criarmos condições para a vigilância para sabermos quem é quem”.

“Não podemos pensar que todos os que vem de Cabo Delgado são criminosos. Os criminosos até podermos ser nós daqui mesmo que não vieram de Cabo Delgado. Há vigilância é necessária para detectarmos qualquer cidadão que possa criar situações que poem em causa a soberania do estado, seja ele daqui seja ele de que lugar venha”, concluiu a, também, ministrado do Trabalho e Segurança Social.

A outra agenda da esposa do administrador de Rapale

Ainda em Nampula, a esposa do administrador de Rapale, entende que deve abordar a questão da covid-19, sensibilizando a população para a observância das medidas de prevenção da doença.

“Tivemos casos alarmantes no início, na província de Nampula, mas depois de um grande trabalho, com o envolvimento de todos abrandou a situação. Nos últimos dias voltou a ser uma preocupação a província de Nampula. Gostaríamos de apelar a toda a população de Nampula, os líderes religiosos e comunitários, professores e enfermeiros para fazerem uma campanha continua de sensibilização para se observar as recomendações sanitárias”.

Segundo disse, “do aeroporto para cá vi muita gente na rua sem máscara e aglomerada sem o distanciamento e sem a higienização”, para depois frisar que “estávamos muito bem, mas agora voltou a carga a província de Nampula. Todos os dias é a segunda ou a primeira província com mais casos positivos”. (Texto: Aunício da Silva *Foto: Hermínio Raja)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here