Mitos sobre a vacina da covid-19 preocupa governo do distrito de Nampula

0
348

Nampula (IKWELI) – Através dos Serviços Distritais de Saúde, Mulher e Acção Social (SDSMAS), o governo do distrito de Nampula, no norte do país, mostra-se preocupado com a onda de desinformação e mitos em torno da vacina da covid-19, largamente propalados nas redes sociais e nas comunidades, em geral.

De acordo com Abílio Cutimba, Responsável de Educação e Comunicação nos SDSMAS de Nampula, a situação é preocupante, numa altura em que os esforços seriam de informar correctamente a população.

“Nas redes sociais e nas comunidades há uma série de informações falsas sobre a vacina para imunização do coronavírus”, disse Cutimba, prosseguindo que “nas redes sociais há pessoas que têm a tendência de escrever um artigo e expor como se fizesse uma investigação científica”.

Esta fonte reconhece que “a população que não tem meios de comunicação suficientes para dar a informação verdadeira”, por isso “são as que mais estão vulneráveis na desinformação”.

Este responsável apela para que se adira a vacinação, seguindo-se o plano nacional, no sentido de ser ter menos casos. “Já tivemos várias outras pandemias e conseguimos controlar porque fizemos campanhas de vacinação. Hoje estamos a falar da covid-19 e não sabemos como essa doença irá se manifestar nos próximos anos. Estamos agora a ver a variante 1, a variante 2, a variante brasileira, sul africana entre outros. Isso nos preocupa, por isso é importante que vacinemos”.

Por outro lado, este nosso interlocutor disse que não basta falar das medidas de prevenção se não estiverem a ser usadas, corretamente, nas comunidades, e não se alimentar das informações chaves e credíveis para o combate a essa doença viral. “As pessoas que tem a covid-19, e estão em tratamento, devem esperar melhorar para depois vacinar. As mulheres grávidas, pessoas acamadas por conta de outras doenças são as que não devem receber a vacina, enquanto não estarem em condições de receber, mas as restantes pessoas podem sim vacinar, claro que cada organismo reage da sua maneira, e podem ter tontura ou mal-estar, mas há que lembrar que não tem sido algo grave que podemos considerar fatal, por isso vamos vacinar”.

Para entender, o nível de percepção sobre a vacina da covid-19, o Ikweli foi a algumas comunidades para entrevistar algumas pessoas, e notamos que, na verdade, as pessoas estão mesmo desinformadas.

A percepção popular é de que a vacinação tem, em vista, aumentar o número de casos e dizimar os africanos, tal como nos disse o produtor Osvaldo Mutete, do posto administrativo de Anchilo.

“Como nós africanos somos abençoados não estamos a morrer em massa como em outros continentes”, disse este cidadão, que acredita que “inventarem essa vacina para todos estarmos contaminados”.

Por fim, entrevistamos a senhora Júlia Massicate, na mesma circunscrição, que revelou que “sou uma doente crônica de tuberculose e tive a informação com os líderes comunitários que devemos ir vacinar, mas eu temo que essa vacina me crie outros problemas de saúde, por isso prefiro não ariscar”. (Elisabeth José)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui