Home ACTUALIDADE Nampula prevê reflorestar mais de 600 hectares de terra com espécies diversas

Nampula prevê reflorestar mais de 600 hectares de terra com espécies diversas

0
160

Nampula (IKWELI) – A província de Nampula, no norte do país, prevê, nos próximos tempos, efectuar o reflorestamento de pouco mais de 600 (seiscentos) hectares de terra com espécies diversas, dando prioridade as nativas.

De acordo com o director do Serviço Provincial do Ambiente, Luís Sande, anualmente, na província, mais de 70 (setenta) hectares de florestas são desmatados em consequência da exploração florestal.

Segundo esta fonte, o governo tem se dedicado para sensibilizar os intervenientes do sector no sentido de fazerem uma exploração sustentável, porque “o desmatamento em Nampula é preocupante”, por isso, há a previsão de aumentar-se o número de viveiros de produção de mudas para 5, com uma capacidade de produção de mais de 20 mil plantas para cada.

“A causa do desflorestamento tem sido a acção humana para vários fins, precisamente a busca de espaços para novas habitações, abertura de machambas, produção de combustível lenhoso e exploração madeireira”, explicou o Eng. Sande, por ocasião do dia mundial de Florestas, celebrado neste domingo, 21 de Março.

Falando na comunidade 7 de Abril, no distrito de Meconta, o director do Serviço Provincial do Ambiente disse que “é preciso que a gente faça o reflorestamento e a gestão da reprodução da própria árvore”, reconhecendo que “o conhecimento sobre gestão do plantio é ainda fraco, tanto na comunidade assim como nos próprios exploradores, e é nossa missão ensinar essas pessoas”.

“O recurso florestal é renovável, mas quando a pressão for demais não vai poder renovar-se”, concluiu Luís Tomás Sande na sua intervenção, abordando que durante o ano de 2020 mais de 10 exploradores furtivos foram levados a barra do tribunal.

Por seu turno, o administrador de Meconta, Melchior Focas, disse que a circunscrição que dirige prevê reflorestar, pelo menos, mais de 54 hectares, sendo que neste domingo 11 hectares beneficiaram do plantio de chanfutas, jambirre e outras espécies.

“Estamos perante a situação de mudanças climáticas e todos sabemos o que significa isso. Uma das coisas que acontece no mundo são as secas, e elas só podem ser mitigadas através do plantio de árvores”, disse esta fonte, reforçando que “a floresta nos dá toda vida”.

Para Focas este “é um momento de reflexão, e a população deve estar sensibilizada para o uso sustentável dos recursos florestais”. (Aunício da Silva)